Aumenta demanda de assistência de viagem

Por Unificado • 10 de novembro de 2010

Por Andrezza Queiroga

A realização de megaeventos esportivos no País nos próximos anos, os 30 milhões de brasileiros que passaram a ter acesso a crédito, o aumento do número de viagens ao exterior e a expectativa de crescimento do turismo transformaram o mercado. De olho nesta tendência, seguradoras ampliaram seu leque de serviços e estão apostando no segmento de seguros de viagem. A Unimed, por exemplo, lançou o Segurviaje, que inclui, entre outros, localização de bagagem, repatriação funerária e assistência médica, odontológica e jurídica a brasileiros que viajarem para o exterior.
De acordo com o superintendente da área de produtos Ricardo Ferraz, a empresa baseou-se no aumento do tráfego aéreo e no volume de turistas para investir na nova modalidade, e hoje a expectativa é de que o faturamento deste ano chegue a R$ 100 mil. “Em novembro devemos passar dos 60% de crescimento com este produto. Tanto é que para 2011 já temos uma verba destinada ao marketing deste seguro, pois acreditamos que o setor tenha uma demanda ainda maior”, diz.

Segundo Ferraz, a empresa, que atualmente conta com 5,9 milhões de clientes, tem como objetivo “expandir seus negócios e atender as necessidades do mercado”. Segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep), o mercado de seguro turístico teve um crescimento de 151% de janeiro a agosto deste ano se o compararmos aos dados do mesmo período de 2009.

O número talvez justifique a entrada de outras empresas no setor. A SulAmérica Seguros e Previdência também se rendeu ao segmento e lançou o SulAmérica Viagem, que oferece serviços como cobertura de morte acidental, indenização permanente em caso de acidente e cobertura de extravio de bagagem.

Outra empresa que também lançou um produto similar foi a Porto Seguro. Com o Porto Seguro Viagem, é possível agora adotar um serviço criado especificamente para proteger os turistas em suas viagens, sejam elas nacionais ou internacionais. A proteção garante assistência médica, odontológica e farmacêutica, bem como remoção inter-hospitalar e orientação em caso de perda de documentos. O valor, assim como em outras empresas, varia de acordo com a opção de plano e a duração da viagem.

Para o diretor comercial da Travel Ace Assistance, Evandro Correa, o aumento da concorrência é positivo, “pois obriga quem já atua no mercado a se renovar e dá aquecimento à economia, no sentido de criar um novo produto que exigirá profissionais capacitados, aumentando a oferta de emprego e a qualidade do serviço em todo o País”.

A empresa do Grupo Imas, com sede na Argentina, é líder na América Latina em assistência de viagem, e, para acompanhar o crescimento do setor, elaborou um pacote de serviços que inclui o fortalecimento de parcerias com operadores e agências de viagens e investiu pesado em campanhas publicitárias.

Além disso, lançou produtos voltados a nichos específicos. “Tivemos de renovar nossa linha e criamos, por exemplo, o Sports, serviço voltado exclusivamente para esportistas amadores de diversas modalidades”, explica.

Os planos custam a partir de US$ 70 e variam de acordo com a duração da viagem. Entre os benefícios está previsto resgate e salvamento ocasionados por práticas amadoras. “Vamos receber a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016 e, até lá, receberemos visitas técnicas de delegações. É preciso que haja atendimento de qualidade e orientação a este público. A assistência ao viajante ganha outra conotação: basta ver a aposta das grandes seguradoras neste setor”, justifica.

Destaque
Quem pensa que só esportistas ganham destaque na empresa se engana. O seguro voltado à gestantes visa garantir toda a segurança e tranquilidade as futuras mães, mas ele só pode ser feito até a 34ª semana de gestação. Além dos serviços triviais, como planos de assistência, o pacote prevê a cobertura de eventuais complicações decorrentes de gravidez que venham a ocorrer em viagem. A empresa, que é a fornecedora oficial de assistência ao viajante dos Comitês Olímpico Brasileiro (COB), Brasileiro de Vôlei (CBV), Brasileiro de Basquete (CBB) e Brasileiro de Judô (CBJ), deve registrar este ano um crescimento de 50%, recorde dos últimos dez anos.

“O Brasil ganhou visibilidade mundial, o brasileiro aumentou o poder aquisitivo e, aos poucos, tem se dado conta de que é importante que ele viaje com segurança. Aliado a tudo isso, descobrimos novos mercados e oferecemos soluções inovadoras”, diz Correa, que prevê um cenário positivo nos próximos anos.

Quem também aprova o crescimento do mercado é a coordenadora-geral de serviços turísticos do Ministério do Turismo, Rosiane Rockenbach. Segundo ela, o crescimento de serviços de assistência de viagem vem ao encontro do portfólio de ações que o ministério visa a fomentar para as atividades turísticas.

“O interesse pelo seguro reforça todos os cuidados que buscamos ter com o segmento e integra as ações promocionais que têm como objetivo potencializar este leque de setores ligados ao turismo”, explica Rosiane.

A especialista no segmento alerta, entretanto, de que é importante os turistas procurarem cada vez mais seguros que atendam as suas necessidades, especificamente. “O usuário deve se cercar de informações e buscar produtos que cubram seus imprevistos: vale ver se há um alicerce em caso de morte no exterior, se há intérpretes, e, de preferência, que não seja comprado dentro de um pacote de viagem, mas minuciosamente avaliado e solicitado”, recomenda.

No endereço eletrônico www.viajelegal.turismo.br é possível se informar sobre os cuidados e obter dicas para evitar problemas. Entre as orientações, está a que se refere a saúde e previne o turista contra acidentes e complicações. “Temos de estimular as pessoas que viajam a se precaver de inconvenientes e, com o aumento de seguros dessa natureza, é possível fortalecer o setor – e, mais, estimular a qualidade dos serviços”, afirma.

Fonte: DCI – Comércio, Indústria e Serviços – 10-Nov-2010

Comments are closed.

 

« | Home | »